Dicas para diagramação de álbum fotográfico

O álbum fotográfico é onde contamos uma história através de imagens. Há quem prefira evitar muitos recortes desenhos e enfeites, que podem com o tempo ficar um pouco ultrapassados. Porém, eu pessoalmente não vejo problema nisso, uma vez que o álbum também conta a história da época, não vejo problema em ter estilos de diagramação também da época. Do estilo mais clean, com menos efeitos, ao mais elaborado, utilizando sobreposição de elementos, uso o que acho que combinará mais com a ocasião.
Para casamento, prefiro o estilo clássico, limpo, com efeitos em algumas fotos e sem muitos enfeites, pois a festa em si já tem brilho próprio.

Exemplos de páginas de álbum de casamento:



Capa utilizando detalhe da decoração da festa (bem-casados).

Efeito de sobreposição de fotos, mudança de saturação e zoom radial para dar movimento.

Sem efeito e enfeites, pois a própria decoração da mesa e as cores dos pratos já são suficientemente marcantes.



Para álbum infantil, aniversário, nascimento ou outro, incremento com enfeites que tenham relação com o evento ou a pessoa fotografada. Exemplo: utilizar enfeites que tenham relação com tema da festa.

Exemplo de páginas de álbum infantil:




Utilizando elementos do Scrapbook Digital


Utilizando efeito de negativo de filme para adicionar grande volume de fotos em poucas páginas

Estilo "clean".

A seguir, algumas dicas do que procuro fazer na diagramação de meus álbuns:

1º) Eu sempre procuro conhecer muito bem cada cliente e a partir de cada personalidade eu começo a desenvolver as artes dos álbuns, para clientes mais tradicionais, diagramações mais clássicas, para clientes menos tradicionais, diagramações mais “ousadas”.

2º) Vizualização de todas as imagens disponíveis (escolhidas pelo cliente) antes de iniciar o processo de diagramação, para ter uma visão do “todo” e pensar na história a ser contada.

3º) Cada página deve contar uma pequena história. Procuro colocar poucas fotos, geralmente do mesmo tema, para que não fique muito poluído. Se tivermos muitas fotos do mesmo tema para serem colocadas em um álbum com poucas páginas, posso dar foco em uma ou duas fotos e as demais apenas como coadjuvantes, ilustrando o restante da cena.

4º) Costumo exibir as fotos de acordo com a ordem cronológica dos acontecimentos, fica em harmonia com a nossa própria forma de lembrar dos momentos que vivemos.

5º) A mensagem deve ser passada de forma leve. Leveza não tem relação à quantidade de fotos ou enfeites e efeitos, leveza significa equilíbrio. A página pode ter somente duas fotos e ser pesada, se não houver um equilíbrio na disposição / cores / assunto.

6º) Nem todos os espaços em branco de uma diagramação precisam ser preenchidos, uma composição clean, pede alguns espaços vazios para descanso dos olhos.

7º) A linha que separa o bom gosto do gosto duvidoso é tênue. E gosto é uma questão pessoal, por isso é importante conhecer bem o cliente. Eu sempre peço para que, se ele viu algo que agradou, me mostre, para que eu saiba qual seu estilo e que direção seguir na diagramação de seu álbum.

8º) Muitas vezes uma boa imagem retrata melhor um momento importante, do que várias imagens sobrepostas. Sobreposições de imagens podem ajudar a composição, mas podem poluir ou esconder uma parte importante de uma imagem que por si só já seria forte o suficiente para compor o assunto em questão. A questão aqui é novamente o equilíbrio.

9º) Não siga rigorosamente as regras. Ao diagramar, visualize a página em desenvolvimento e teste muitas disposições até achar aquela que mais agrada aos olhos, que pode ir totalmente em desencontro às regras que achamos que devem ser seguidas sempre. Diagramar é uma arte e arte deve fluir livremente, de acordo com nossa inspiração, o que nos leva à próxima dica.

10º) Não trabalhe se não estiver inspirado, se estiver estressado, cansado ou brigou com o vizinho, esqueça! A não ser que trabalhe com templates prontos (não é o meu caso), isso só será cansativo, massante e tenho certeza de que o resultado não será tudo aquilo que você poderia render em um dia bom. E você e seu cliente serão os prejudicados. Nem todos podem se dar a este luxo, principalmente quando passam o prazo muito apertado para a finalização do serviço. Por isso aconselho a passar o prazo prevendo a possibilidade de imprevistos. Trabalhe com folga, pois nessa arte, o estado de espírito de quem está na frente da máquina influi diretamente no resultado do trabalho. E quem não teve um dia de cão em que nada sai bem, que atire a primeira pedra!


Mais informações sobre meu trabalho de diagramação de álbuns fotográficos:
http://mariafernandalima.blogspot.com/2010/11/servicos-de-diagramacao.html

Maria Fernanda Lima

4 comentários:

Rosy disse...

Minha querida eu Rosy Produções, tenho um stúdio na Bahia, eu achei perfeito o seu ponto de vista, achei muito semelhante ao meu,eu me identifiquei demais aoa seu estilo é isso aí essa nova tendência faz a diferença, mas é preciso muita criatividade para não ficar pesado, gosto de coisas clássicas e onde a leveza se faz presente. Parabéns gostaria de fazer contato com vc,para trocarmos mais idéias rosy.producoes@gmail.com

Raphael Assis disse...

Gostei da parte de não trabalhar estressado, pena q isso não seja uma realidade pra mim, como vc disse, existem casos de prazos, aí fica mais difícil, adorei suas dicas.
raphael.assis@hotmail.com

Maria Fernanda Lima Fotografia e Diagramação disse...

Inspiração não combina com pressa mesmo, Raphael :)

Natália Pinfildi disse...

Olá, achei lindo todos seus trabalhos... sou formada em comunicação e tenho muita vontade de realizar esse tipo de trabalho, mas não sei por onde começar.... você teria algumas dicas para iniciantes?
Obrigada e parabéns novamente!

Postar um comentário